Enfermeira realizava a   mamografia anualmente e ficava   sempre atenta ao próprio corpo,   em um dos exames, descobriu um   tumor grave no seio

Muitas mulheres não têm conhecimento em relação à prevenção do câncer de mama e, por essa razão, deixam de se cuidar. A história de Elizabeth Cupertino, 56, é exatamente o oposto: chefe de enfermagem e convivendo diariamente com questões da área de saúde, realizava a mamografia anualmente e ficava sempre atenta ao próprio corpo. Em um dos exames, ela descobriu um tumor grave no seio.

De acordo com o rádio-oncologista do Instituto de Radioterapia Vitória Carlos Rebello, médico responsável pelo caso de Beth, como gosta de ser chamada, a detecção precoce foi fundamental para que o tratamento alcançasse bons resultados.

“É necessário que as mulheres observem os próprios corpos constantemente, verificando a existência de nódulos, manchas ou dor na região dos seios. Manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos são recomendações importantes para evitar a doença”, explica o especialista.

Otimismo

“Acredito que com amor, humor e fé a gente consegue ultrapassar as dificuldades que a vida nos impõe no dia a dia”, afirma a chefe de enfermagem. Foi com este otimismo que ela enfrentou dez meses de tratamento. Atualmente, Beth está passando pelos últimos procedimentos antes de poder afirmar com um sorriso estampado no rosto que venceu o câncer de mama e “comemorar na Grécia”, afirma ela, entre risos.

Carlos Rebello confirma que manter-se positivo durante o tratamento de câncer otimiza os resultados. “O estresse, o desespero e a ansiedade liberam substâncias que afetam o sistema imunológico. O ideal é evitar estes sentimentos e permanecer focado em vencer o problema”, diz.

Fonte: Folha Vitória | Portal da Enfermagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *